Seis dicas para proteger sua câmera de segurança de invasões hackers

Câmeras de segurança conectadas à Internet podem virar alvo de hackers. É possível que alguém mal-intencionado consiga gravar ou até acompanhar ao vivo o que acontece na casa ou trabalho dos usuários, trazendo riscos à privacidade e à segurança. Manter a câmera atualizada, usar senhas fortes e dar preferência a fabricantes que tenham credibilidade no mercado são algumas das ações que podem evitar os riscos de vazamentos e invasão.

Aplicativo transforma seu celular em câmera de segurança; conheça

Recentemente, uma falha de segurança deixou dados de 2,4 milhões de pessoas expostos. O caso está sendo considerado o vazamento do tipo mais sério já visto em todo o mundo. Veja, a seguir, seis dicas para tornar o uso da câmera de vigilância algo mais seguro.

1.    Mantenha a câmera atualizada

Câmeras, assim como outros dispositivos conectados, devem receber atualizações de segurança por parte dos fabricantes ao longo do tempo. É essencial habilitar a opção de atualização automática, ou então, buscar pelos updates no site da fabricante. Além de reforçar a segurança da câmera, com o potencial de corrigir alguma brecha grave, essas atualizações podem melhorar o desempenho do produto e trazer novas funcionalidades.

2. Use senhas fortes

As câmeras de segurança conectadas vêm com uma senha de acesso padrão, liberada pelo fabricante para a primeira instalação. Se um invasor tentar acessar sua câmera, há uma boa chance de que a primeira senha que ele vai tentar usar é a palavra-passe pré-definida. Assim como na compra de um roteador novo, é fundamental mudar a senha da câmera para um código personalizado e seguro, com letras, números e caracteres especiais.

3. Certifique-se de que sua rede é segura

Se sua câmera tem uma senha segura e está sempre atualizada, mas está conectada a uma rede mal configurada, ela pode estar vulnerável a invasões. Para isso, é importante seguir algumas dicas para manter a rede Wi-Fi segura, como esconder o nome da rede e monitorar os dispositivos conectados, por exemplo.

 

4. Seja criterioso com o acesso remoto

As câmeras de segurança com acesso à Internet permitem acompanhar tudo em tempo real. A comodidade, no entanto, precisa ser usada com algum cuidado. Uma dica é não usar o acesso remoto em redes Wi-Fi públicas, ou em que você não confia. Outra recomendação é criar perfis de uso que diminuem riscos de interceptação. Avalie por exemplo se sua câmera precisa mesmo acessar a Internet o tempo todo. Talvez você possa configurá-la para transmitir as imagens apenas quando você não está em casa.

5. Use autenticação em dois fatores

Algumas câmeras fabricadas recentemente trazem a opção de configurar a autenticação em dois fatores. Essa função combina a senha escolhida com um código alfanumérico único, enviado, em geral, por celular e só você pode ter acesso. Com a verificação em duas etapas, o risco de que um invasor acesse seus dados e a câmera com sua senha desaparece.

6. Fique de olho na procedência

Na hora de comprar sua câmera, é importante buscar aparelhos de boa procedência. Os produtos de marca com maior presença no mercado, em tese, têm sistemas atualizados com frequência, além de ferramentas e recursos de segurança de boa qualidade. Desconfie de ofertas mirabolantes: câmeras de procedência duvidosa podem vir adulteradas da mão do vendedor, com malwares embutidos criados especificamente para facilitar a vida dos criminosos.

FONTE(S): TECHTUDO.COM.BR