COVID-19: Diferentes tipos de robôs ajudam na pandemia

A China está utilizando robôs para ajudar no atendimento a pessoas em quarentena por conta do coronavírus. A agência de notícias oficial do governo chinês divulgou imagens do robô Little Peanut (Amendoim, em português) entregando comida pelos corredores de um hotel em Hangzhou, ao leste do país, onde mais de 200 pessoas estão isoladas. A ideia é impedir ao máximo o contato entre as pessoas para evitar o contágio, a exemplo dos atendimentos remotos que utilizam as novas antenas 5G.

A máquina cumprimenta os pacientes, entrega a comida e avisa que qualquer problema deve ser comunicado pelo WeChat, aplicativo de mensagens mais popular da região.

Segundo uma fonte do Partido Comunista Chinês ouvida pelo jornal britânico Dailymail, há 16 robôs distribuídos no hotel. Cada um fica responsável por um andar do prédio para auxiliar na entrega de comida para os pacientes em observação. As máquinas são programadas para percorrer uma determinada rota: sabem onde ir, onde parar e em que momento devem reproduzir o som avisando sobre o serviço.

Na Bélgica, a empresa de tecnologia Zorabots emprestou centenas de robôs de companhia para idosos em isolamento. A ideia é que, mesmo em casa durante a quarentena, as pessoas possam conversar com a família e os amigos por meio de videochamadas. As máquinas respondem a comandos de voz e podem acompanhar fisicamente o usuário pela casa, ajudando a melhorar a sensação de companhia.

FONTE(S): TECHTUDO.COM.BR

Câmeras de trânsito do Rio são usadas para identificar aglomerações

As câmeras de monitoramento de tráfego da cidade do Rio de Janeiro estão sendo usadas para identificar aglomerações. A partir de quarta-feira (13), as 489 câmeras contarão com um detector de concentração de pessoas.

Este mecanismo é um software que permitirá aos operadores identificar grupos de pessoas que possam estar formando aglomerações. O objetivo é evitar a disseminação do coronavírus.

O programa conta com luzes verdes, que indicam o distanciamento mínimo de 1,5 metro entre as pessoas; o de cor laranja, que indica risco médio; e a vermelha, que indica o risco de aglomerações.

Quando o risco for detectado, o Disk Aglomerações da Secretaria de Ordem Pública (SEOP), será acionado.

FONTE(S): TECHTUDO.COM.BR

COVID-19: 5G e consultas remotas, proximidade em meio a quarentena

A conectividade 5G vem sendo chave na China e na Coreia do Sul para permitir o contato à distância. Em robôs, a rede de quinta geração é essencial para permitir o funcionamento de sistemas de inteligência artificial. Além disso, a baixa latência da tecnologia ajuda a operar equipamentos médicos via internet com alto grau de precisão.

A Huawei chegou a instalar novas antenas de 5G em território chinês para, entre outras coisas, aumentar a cobertura de sistemas avançados de teleconferência: um paciente pode, por exemplo realizar uma consulta online com imagens em alta qualidade mesmo sem acesso à fibra ótica.

O projeto segue o modelo implementado no centro médico em Xiaotangshan, erguido em apenas sete dias. Os esforços da empresa levam a redes ultravelozes para transmissão de dados, consultas remotas, monitoramento e outros serviços.

Com as novas estações 5G em Wuhan, a Huawei espera que a comunicação entre outras localidades da Asia com a área em quarentena seja feita de maneira mais rápida e eficiente. A ideia é que consultas e monitoramento do quadro de saúde sejam realizados remotamente com suporte da nova conexão. Como os habitantes estão impossibilitados de sair das regiões, a medida amplia o fornecimento de serviços hospitalares, bem como o acompanhamento do avanço ou regresso do vírus.

FONTE(S): TECHTUDO.COM.BR

COVID-19: “Doação” de processamento de placas de vídeo

A Nvidia, conhecida fabricante de placas de vídeo, está convocando usuários a doarem o poder de processamento de suas GPUs para ajudar no combate ao coronavírus. Por meio do aplicativo Folding@home, qualquer usuário que tenha um PC equipado com uma placa GeForce pode contribuir. O sistema funciona como uma rede descentralizada de processamento de dados ligada a centros de pesquisa que desenvolvem estudos relacionados à pandemia.

O desenvolvimento de modelos de proliferação da Covid-19, por exemplo, é baseado em cálculos complexos que precisam do maior volume possível de processamento. Ao doar parte do trabalho do computador – e, consequentemente, energia elétrica – um PC gamer pode ajudar a processar um pequeno pacote de informações que ajuda a reduzir o tempo necessário para encontrar uma solução para a situação.

FONTE(S): TECHTUDO.COM.BR

COVID-19: Pagamentos por aproximação, diminui os riscos de contaminação

A essa altura você já deve estar bem ciente de todas as recomendações para evitar a infecção pelo novo coronavírus (SARS-CoV-2), em especial manter distância de outros indivíduos, lavar as mãos com frequência e, principalmente, evitar o contato com pessoas e superfícies contaminadas — assim como não tocar o rosto depois disso. Outras sugestões incluem desinfetar dispositivos, o que pode ser uma tarefa árdua em locais de grande fluxo, a exemplo de teclados de pagamento em supermercados. E aí é que o sistema NFC, presente nas operações do Google Pay, Apple Pay, Samsung Pay e afins, pode ser uma solução mais higiênica e preventiva contra a COVID-19.

Bem, só para lembrar, para quem nunca usou, as redes compatíveis com Near Field Communication (NFC), permitem a comunicação por aproximação, sem a necessidade de contato algum. O microbiologista Jason Tetro, autor de livros sobre contágio como The Germ Code e The Germ Files, destaca que essa é a melhor forma de realizar um pagamento atualmente, pois “não há pessoas apertando botões”.

Tetro lembra um estudo sobre germes, publicado na revista BMC Infectious Diseases em 2018, e que examinou a propagação de doenças infecciosas em aeroportos. Pelo menos um vírus respiratório foi encontrado em amostras de superfícies comumente tocadas — isso inclui caixas de bagagem, corrimãos e os botões do terminal de pagamento de farmácias. Nesse último caso, o rinovírus e o coronavírus OC43 (uma forma comum de coronavírus, diferente da causadora da pandemia atual) foram encontrados no mesmo cotonete.

Se as pessoas estão em uma situação em que são obrigadas a tocar em algo bastante acessado, como terminais de pagamento ou caixas eletrônicos, “há uma boa probabilidade de que as pessoas tenham passado a mão no nariz ou colocado os dedos na boca, portanto, podem haver fluídos corporais transferidos para essas máquinas”, avalia Tetro. “Nas primeiras horas, quando o vírus é mais infeccioso, outra pessoa pode acabar tocando isso e tocando seu rosto depois”, complementa.

Ter um sistema não-sensível ao toque, acrescentou Tetro, é vantajoso porque elimina mais um agente em potencial para propagar doenças. Em outras palavras, se você tiver, use-o. E se você precisar tocar em uma superfície bastante acessada, como um teclado de pagamento, lave as mãos ou use um desinfetante como álcool em gel 70% o mais rápido possível. Além disso, por mais que já saiba disso, evite tocar o seu rosto o tempo todo, especialmente enquanto estiver fora de casa.

FONTE(S): CANALTECH.COM.BR

COVID-19: Impressão 3D acelera produção de peças em hospitais

Quando os estoques começam a ficar vazios durante uma pandemia, vidas entram em risco.

Mesmo em meio a crise, a manufatura aditiva está lutando para acompanhar e combater o crescimento do número de vítimas do coronavírus.

E felizmente esse foi o caso para alguns pacientes com coronavírus na Itália: a impressão 3D veio em seu socorro.

Um hospital do norte da Itália em Brescia, uma das áreas mais infectadas com coronavírus na Itália, ficou sem válvulas para as bombas de oxigênio, pois as peças dos estoques haviam acabado e não foi possível encomendar com os fornecedores a curto prazo.

Foi aí que uma empresa que presta serviços de impressão 3D entrou em ação e imprimiu as válvulas a curto prazo, salvando vidas.

 

Impressão 3D salvando vidas

Como o coronavírus atinge os pulmões do paciente, é necessária oxigenação e terapia intensiva para alguns dos casos graves de hospitalização.

As bombas de oxigênio permitem que o paciente viva mais tempo para poder combater o vírus.

Essas bombas de oxigênio exigem peças específicas e complexas para funcionar, e quando essas válvulas começaram a se esgotar porque o fornecedor não conseguia acompanhar a alta demanda, os médicos tiveram que encontrar uma solução rápida e apropriada.

Foi aí que a impressão 3D entrou em cena para ajudar!

Uma empresa local encarou esse desafio, trazendo sua impressora 3D diretamente para o hospital, redesenhando a válvula e imprimindo em 3D. E isso realmente funcionou!

Na noite de 14 de março, foram confirmados 10 pacientes do hospital ligados às bombas de oxigênio com essas válvulas impressas em 3D.

A impressão 3D foi vista na Itália como uma solução para os estoques esgotados, enquanto o mundo luta para acompanhar o crescente número de casos de coronavírus.

FONTE(S): WISHBOX.COM.BR

Mapa do coronavírus no mundo: sites mostram casos confirmados em tempo real

Mapas do coronavírus são ferramentas online que ajudam a monitorar o avanço da Covid-19 em tempo real. O rápido avanço da doença tem preocupado cidadãos, autoridades governamentais e especialistas de saúde em todos os cantos do globo. Em meio à progressão da pandemia, esses sites permitem acompanhar os casos confirmados do novo coronavírus em tempo real. A tecnologia usada é a mesma que nós (Connect Tech) utilizamos para monitoramento de equipamentos e serviços em nossos clientes

Confira a seguir, três sites para se manter informado com dados atualizados sobre a doença. A lista inclui uma plataforma oficial da Organização Mundial da Saúde (OMS) e o Bing Covid, da Microsoft, que funciona em português.

1.     Organização Mundial da Saúde

A Organização Mundial da Saúde criou uma plataforma que permite acompanhar o avanço do coronavírus no mundo. O mapa aponta, com pontos alaranjados, os países que têm casos confirmados da COVID-19. Quanto maior o tamanho da circunferência, maior o número de infectados na região.

Na coluna esquerda, a ferramenta informa o total de vítimas, países infectados e casos confirmados ao redor do globo. Um gráfico exibe a curva de crescimento das infecções e, do lado direito, é possível conferir um ranking dos países mais afetados pela pandemia. O site pode ser acessado em: https://experience.arcgis.com/experience/685d0ace521648f8a5beeeee1b9125cd

2.     Rastreador da COVID-19 da Microsoft

É possível monitorar a progressão dos casos de coronavírus no Brasil e no mundo com uma ferramenta (bing.com/covid) projetada pelo Bing, buscador da Microsoft. Autoexplicativo, o visual do mapa se assemelha bastante ao da OMS. A diferença é que, ao clicar sobre determinado país, o rastreador mostra o total de casos ativos, recuperados e fatais. O painel exibe também uma lista de notícias e vídeos relacionados ao avanço da pandemia naquela região.

3.     Universidade Johns Hopkins

Especialistas do Centro de Ciência e Engenharia de Sistemas da Universidade Johns Hopkins, nos Estados Unidos, também desenvolveram um site para acompanhar a progressão global da COVID-19 (gisanddata.maps.arcgis.com/apps/opsdashboard/index.html#/bda7594740fd40299423467b48e9ecf6). Os dados no mapa são abastecidos em tempo real com informações da Organização Mundial de Saúde e de centros de controle da doença em diferentes países, o que torna o layout e funcionamento da plataforma bem parecidos com o da ferramenta da OMS.

O sistema usa pontos vermelhos para indicar os locais onde há casos de coronavírus. À esquerda do mapa, é possível ver o total de pessoas infectadas e a quantidade de casos confirmados por região. No canto superior direito, quadros informam o número de vítimas fatais e de pacientes recuperados por país. Há ainda um gráfico que indica o crescimento da Covid-19 no globo.

FONTE(S): TECHTUDO.COM.BR

COVID-19: Drones pedindo à população para ficar em casa

Em alguns países da Europa e da Ásia, governos vêm usando drones para acelerar providências contra o coronavírus em espaços públicos. Na Espanha, onde vigora um decreto de estado de emergência que ordena o isolamento por 15 dias, a polícia usa os equipamentos para sobrevoar áreas onde pessoas ainda circulam e emitir um aviso sonoro para que todos fiquem em casa. Os drones ajudam especialmente na capital Madrid, cidade mais populosa e foco de infecção no país.

Na China, autoridades vêm lançando mão dos aparelhos para acelerar o processo de desinfecção das ruas. Eles viajam por cidades inteiras espirrando produtos de limpeza, como água sanitária, por exemplo, para garantir que traços do vírus sejam eliminados de todas as zonas, principalmente daquelas onde o exército de limpeza do governo chinês não consegue passar.

Aqui no Brasil, a Prefeitura do Rio de Janeiro já utiliza os drones desde o último dia 15/04, um “drone falante” e um sistema de rastreamento de sinais de celulares para tentar evitar aglomerações na cidade e, dessa forma, impedir a disseminação rápida do novo coronavírus.

Segundo a prefeitura, o equipamento com um alto-falante sobrevoará diversos pontos da cidade, alertando aos cidadãos sobre a importância de ficar em casa. A mensagem diz ainda que, se precisarem sair, que seja mantida distância de dois metros das outras pessoas, conforme as orientações do Ministério da Saúde.

Todas as ações do drone serão transmitidas em tempo real para a base operacional no Riocentro, onde funciona o Gabinete de Crise da Prefeitura, e para o Centro de Operações, na Cidade Nova, no Centro.

O serviço será usado para o atendimento das chamadas do Disk Aglomeração e permitirá à Prefeitura estender esse tipo de ação. O serviço, criado no final de março, já registrou mais de duas mil denúncias sobre pontos de aglomerações na cidade

FONTE(S): TECHTUDO.COM.BR / G1.GLOBO.COM

COVID-19: Hemorio inicia campanha de doação de sangue em condomínios

Objetivo é repor o estoque de sangue, que está muito baixo, sem expor o doador no período de distanciamento social. Equipes montam estrutura de coleta por um dia no salão de festa dos condomínios com 500 moradores.

O Hemorio começa nesta quarta-feira (1º) uma campanha para repor os estoques de sangue, que caíram muito desde o início da pandemia da Covid-19, após as medidas de isolamento social. A coleta de sangue também pode ser realizada na casa dos doadores.

A campanha “Hemorio em casa” começa a partir das 10h. Segundo o diretor-geral do Hemorio, Luiz Amorim, a ideia é ir até o doador para evitar o deslocamento de pessoas no período de isolamento social. Uma van com equipamentos e profissionais vai montar uma estrutura por um dia, no espaço dos condomínios.

As estruturas de coleta são montadas nos salões de festa em condomínios que tenham pelo menos 500 moradores com idade adequada para doar sangue.

Segundo Amorim, o doador será orientado a aguardar em seu apartamento até o momento da coleta, quando será contatado pela equipe via Whatsapp ou pelo interfone do prédio. Desta forma, aglomerações serão evitadas e os doadores não ficarão tão expostos.

Os síndicos de condomínios interessados em participar da campanha, que possuam espaço para a montagem da estrutura e tenha o número de moradores indicado podem entrar em contato com o Hemorio pelo e-mail: coleta.condominio@hemorio.rj.gov.br ou pelo telefone (21) 96467-2154.

É importante lembrar que não há qualquer evidência de risco de contrair o coronavírus através da doação de sangue, que é um procedimento seguro.

Os candidatos a doar sangue devem observas os seguintes critérios:

  • Não ter contraído a Covid-19 nem ter tido contato com o vírus
  • Quem teve a doença fica inapto por 90 dias após a cura
  • Quem teve a forma grave da doença fica inapto por um ano após a cura
  • Quem teve contato com casos suspeitos ou confirmados ficam inaptos por 30 dias após o fim desse contato
  • Quem retornou de viagem internacional ficam inaptos por 30 dias a partir da data de chegada ao Brasil
  • Quem teve contato domiciliar com casos suspeitos ou confirmados ficam inaptos por 30 dias após a cessação do contato

O objetivo da campanha é repor o estoque de sangue, que registrou queda de 50% nas doações na última semana, por conta da pandemia. Em todo o estado, a queda do número de bolsas de sangue coletadas foi de aproximadamente 70%.

Em média, o Hemorio tem disponibilidade para receber até 500 doadores por dia. Para a situação do estoque se regularizar é necessário que o Hemorio disponha de pelo menos 300 bolsas de sangue por dia.

 

Para doar sangue é preciso:

  • Ter entre 16 e 60 anos de idade, sendo até 69 anos de idade se já for doador de sangue
  • Pesar no mínimo 50kg
  • Estar bem de saúde
  • Apresentar um documento de identidade oficial com foto
  • Evitar alimentos gordurosos nas quatro horas que antecedem a doação, não ingerir bebida alcoólica 12 horas antes e não precisa estar em jejum
  • Menores de idade precisam de autorização dos pais ou responsáveis legais

FONTE(S): G1.GLOBO.COM.BR

Nova lente de contato traz tela, câmera e sensores para o olho humano

Uma startup chamada Mojo Vision está desenvolvendo tecnologia para um objetivo ambicioso: criar uma lente de contato inteligente que contenha uma tela, câmera, rádio e sensores, capaz de mostrar ao usuário uma “visão enriquecida” do mundo real.

Segundo a empresa, a tecnologia poderia ajudar portadores de deficiência visual, aumentando a nitidez de uma imagem, destacando objetos na cena ou ampliando a luz para possibilitar que enxerguem no escuro.

Parece coisa de ficção científica, mas parte da tecnologia já existe e foi demonstrada durante a CES 2020. O protótipo, no entanto, ainda é conectado a baterias e processador externos, e não pode ser colocado sobre os olhos. A Mojo afirma que a “tela” usada em sua lente tem resolução de 14.000 PPI (um iPhone 11 Pro tem 458 ppi).

Uma lente de contato inteligente poderia cumprir a visão do Google Glass, mostrando informações úteis no momento certo, sem que seja necessário tirar o telefone do bolso. A empresa afirma que usuários do produto final provavelmente precisarão carregar um acessório que fornecerá a conexão de dados e poder de processamento necessário para o funcionamento das lentes, mas sem o estigma social associado ao Google Glass, por exemplo.

A Mojo espera vender seu produto tanto para consumidores finais quanto para empresas, com as primeiras versões focadas em portadores de deficiência visual. Não há uma previsão de preço para a tecnologia, mas a empresa afirma que espera ter um produto no mercado “em dois anos”.

FONTE(S): REVISTASEGURANCAELETRONICA.COM.BR